visualizações

quarta-feira, 6 de julho de 2011

A navalha de Occam contra o criador Fri. April 16, 2010 por diegoquinteiro Um dos temas mais recorrentes na discussão sobre a existência de Deus é a criação. De onde surgiu o universo se não foi criado por algum ser, ou seja, Deus? A origem do universo é realmente misteriosa, mas a hipótese de Deus não nos ajuda a explicá-la. E se fizermos a seguinte pergunta: de onde surgiu este Deus capaz de criar um universo como o nosso? Surgiu do nada? Ele é eterno? Alguém criou ele também? Seja qual for a resposta para a pergunta acima, não seria mais simples aplicá-la diretamente ao universo ao invés de Deus? Por exemplo: “Deus surgiu do nada e então criou o universo.” Seria mais simples: “O universo surgiu do nada.” Ou então, para a seguinte resposta: “Deus é eterno e criou o universo.” É mais simples: “O universo é eterno.” Usando a navalha de Occam, a hipótese do criador é cortada. A navalha de Occam é um mecanismo lógico que diz que dentre duas explicações, a mais simples é a mais provável. Ora, é claro, a explicação mais simples faz menos suposições. Ao supor menos, erra menos. Se parece estranho um universo que brota do nada, mais estranho ainda me parece um Deus criador de universos brotando do nada. Sabemos que toda a matéria e energia se espalhou pelo universo em uma explosão. Mas a matéria, de certo modo, já estava lá. De onde ela surgiu? Ninguém sabe, talvez jamais saiba. Ainda assim, não é indício da existência de Deus. No máximo é indício de nossas limitações. Colocar Deus como resposta somente por isso é inventar uma resposta. Links para quem quiser entender melhor a navalha de Occam: Navalha de Occam

A navalha de Occam contra o criador
Fri. April 16, 2010
por diegoquinteiro

Um dos temas mais recorrentes na discussão sobre a existência de Deus é a criação.
De onde surgiu o universo se não foi criado por algum ser, ou seja, Deus?

A origem do universo é realmente misteriosa, mas a hipótese de Deus não nos ajuda a
explicá-la.

E se fizermos a seguinte pergunta: de onde surgiu este Deus capaz de criar um universo
como o nosso? Surgiu do nada? Ele é eterno? Alguém criou ele também?

Seja qual for a resposta para a pergunta acima, não seria mais simples aplicá-la
diretamente ao universo ao invés de Deus? Por exemplo:

“Deus surgiu do nada e então criou o universo.”

Seria mais simples:

“O universo surgiu do nada.”

Ou então, para a seguinte resposta:

“Deus é eterno e criou o universo.”

É mais simples:

“O universo é eterno.”

Usando a navalha de Occam, a hipótese do criador é cortada. A navalha de Occam
é um mecanismo lógico que diz que dentre duas explicações, a mais simples é a
mais provável. Ora, é claro, a explicação mais simples faz menos suposições.
Ao supor menos, erra menos.

Se parece estranho um universo que brota do nada, mais estranho ainda me parece
um Deus criador de universos brotando do nada.

Sabemos que toda a matéria e energia se espalhou pelo universo em uma explosão.
Mas a matéria, de certo modo, já estava lá. De onde ela surgiu? Ninguém sabe,
talvez jamais saiba.

Ainda assim, não é indício da existência de Deus. No máximo é indício de nossas limitações.
Colocar Deus como resposta somente por isso é inventar uma resposta.

Links para quem quiser entender melhor a navalha de Occam:
Navalha de Occam na Wikipédia
Navalha de Occam no Dicionário Cético

Nenhum comentário:

Postar um comentário